Aruba



O destino

Aruba


Tudo o que se espera de um destino caribenho e algo mais!

Originada de uma formação rochosa de 86 milhões de anos e hoje território holandês, Aruba é tudo o que se espera de um destino caribenho e algo mais. É bom já ir aprendendo a falar "masha danki". Será preciso dizer inúmeras vezes "muito obrigado" para aquele povo gentil e acolhedor. O agradecimento dito em papiamento (língua local, que mistura português, espanhol, holandês, inglês e dialetos africanos) é um dos passaportes para conhecer e desfrutar da simpatia arubana.

O povo de raízes europeias, indígenas e africanas parece ter sido abençoado. A ilha tem temperatura média anual de 28ºC, mas não tem um calor abafado. Os ventos intensos, que deixam as árvores inclinadas como se fossem desenho, trazem frescor o tempo todo e fazem da ilha um paraíso para os fãs de esportes náuticos. Destino certo para casais praticantes de windsurfe e paraglider, que ficam surfando de um lado a outro em algumas praias, Aruba também atrai centenas de mergulhadores, que buscam suas águas límpidas e sua riqueza marítima.

Para os que ainda não se arriscaram a mergulhos mais profundos, uma sugestão é o "snorkel", que não requer técnica apurada e proporciona um passeio especial pelas mais belas praias da ilha. As diferentes matizes de corais e recifes e uma grande sorte de peixes encantam e fazem relaxar o mais workaholic dos seres.

Quando cansar dos passeios náuticos (se é que é possível, em meio a tanta tranquilidade e beleza), os noivos podem se jogar nas compras. O território da ilha é isento de taxas, deixando itens como eletroe letrônicos, perfumes e bebidas com um preço atraente.

Se você tem uma afeição especial pelos artesanatos, lembre-se de pechinchar bastante. Os locais estão acostumados com turistas que gastam muito (o dólar é amplamente aceito) e, às vezes, basta um charminho para que baixem o preço pela metade. Uma dica é a loja Art & Tradition , perto do centrinho de Orangestad. As delicadas peças vendidas ali são feitas com uma técnica ancestral de colorir e decorar objetos com uma resina feita a partir de plantas amazônicas.


Diversão de dia e de noite em Aruba

Salsa e Tex-mex


Quando a noite vai longe, o som fica mais alto, e as pessoas começam a dançar.

Aruba vive principalmente do turismo, sendo um dos principais destinos para quem procura lindas praias, diversão, música caribenha e sotaque de diversas línguas, fora o dialeto local: o papiamento.

À noite, os casais mais animados partem em busca de bares de salsa e casas de tex-mex (comida mexicana adaptada ao paladar americano). O Mr. Frog, rede de bares, presente em várias ilhas do Caribe e na Venezuela, é divertido, mas pede uma clientela sem timidez. Entre uma margarita e outra, garçons escolhem felizardos para competir quem vira mais doses de tequila e outras brincadeiras do tipo. Quando a noite vai longe, o som fica mais alto, e as pessoas começam a dançar. A Ilha de Aruba também possui cassinos para diversão durante a noite.

Quando ir a Aruba? Fora da rota dos furacões e com baixíssimo índice de chuvas, Aruba pode ser visitada o ano inteiro. Em dezembro e janeiro, europeus e norte-americanos fogem do frio para a ilha. De abril a outubro é a baixa temporada, e os preços caem, mas o sol continua. De agosto a outubro, a temperatura sobe.

Na bagagem, coloque roupas para o verão, que dura o ano inteiro na ilha. Maiôs, sungas, biquínis e outras peças para a praia merecem mais espaço. Acrescente também roupas para passeios e compras durante o dia e outras um pouco mais elaboradas (nada de longos e fraques) para curtir a noite nos bares ou arriscar a sorte nos cassinos. Os ventos alísios são fortes e constantes. A brisa engana os desavisados, mas protetor solar e chapéu são indispensáveis.

Aruba guarda ao longo de seus 193 km2 um deserto com trilhas para passeios de jipe mais radicais. Cactos e árvores fazem parte do cenário da ilha caribenha, que oferece ainda trilhas para passeios de jipe. Além do cenário inusitado, por onde se avistam iguanas e cactos, também atraem alguns pontos turísticos, como um farol, ruínas de uma construção do século 19 e um extenso (e misterioso) cemitério de pedras, ao longo de toda a estrada. Pare, coloque sua pedrinha em algum montinho já formado e faça seu desejo. Quem sabe você não consegue voltar à ilha outra vez, num momento tão especial e marcante como a sua lua de mel?