Bora Bora

O destino

Polinésia Francesa


Praias de areia muito branca e um mar que apresenta uma infinidade de tons de azul

As 118 ilhas e atóis que compõem a Polinésia Francesa, no Pacífico Sul, ocupam uma área que equivale à metade do tamanho do Brasil. Incluindo água e terra, são mais de 4 milhões de quilômetros quadrados no meio do Pacífico Sul.

Chamada pelos habitantes locais de "Tahiti et ses iles" (Tahiti e suas ilhas), a Polinésia fica literalmente longe de tudo e no meio do nada. Um paraíso muito exclusivo! O país mais próximo é a Nova Zelândia, 4.000 quilômetros a sudeste. Mas vale lembrar que mesmo os neozelandeses se sentem isolados do mundo.

A Polinésia é formada por cinco arquipélagos: ilhas da Sociedade, Marquesas (onde morreu o pintor Paul Gauguin), Austrais, Mangarevas e Tuamotu. Entre os arquipélagos, o mais famoso, e frequentado, é o da Sociedade, onde se encontra a maior ilha da região, o Taiti (a porta de entrada de todos os turistas que visitam a região), além das ilhas de Bora Bora e Moorea.

A região é produto de erupções vulcânicas. Elas resultaram em ilhas montanhosas (há picos que superam os 1.200 metros de altitude), com vasta vegetação tropical, plantações de ananás e coco, praias de areia muito branca e um mar que apresenta uma infinidade de tons de azul, dependendo da profundidade da água e dos corais no fundo.

- Bora Bora

A ilha, situada a cerca de 230 km a noroeste de Papeete (capital do Tahiti), encontra-se rodeada por uma laguna em forma de arco, delimitada por um recife de coral de onde sobressaem algumas pequenas ilhotas, os "motus", o que deixa as águas quase paradas formando uma linda lagoa azul.

No interior deste arco erguem-se dois picos, o Monte Pahia e o Monte Otemanu, este último com 727 m de altitude (o ponto mais alto da ilha), reminiscências de um vulcão, entretanto extinto. O nome original da ilha em língua taitiana, pode ser traduzido como "nascida em primeiro".

A ilha

Bora-Bora


Os habitantes de Bora Bora também afirmam que a ilha, uma das preferidas pelos casais em lua-de-mel, está desaparecendo. Desde sua origem, por uma erupção vulcânica há mais de 4 milhões de anos, Bora Bora está afundando e submergirá em milhões de anos.

A principal atração de Bora Bora é a sua laguna de águas calmas e cristalinas, que permite desfrutar de diversas atividades náuticas (ideal para a prática do snorkel ou esportes relacionados com velas).

Se a sua intenção for apenas ficar ao sol, a maioria dos hotéis oferece barcos entre a ilha e os "motus". Todos são desabitados e possuem praias desertas.

Outra opção é ir de barco a Vaitapé, principal vila de Bora Bora e endereço do porto mais importante.

Em terra firme, você consegue conhecer a ilha toda utilizando qualquer meio de transporte (carro, bicicleta, moto) ou mesmo a pé. Há apenas uma estrada asfaltada (bem cuidada, sem buracos) que circunda toda a ilha. São ao todo 32 quilômetros.

Se quiser passeios mais para dentro da mata, é recomendável alugar um carro com tração nas quatro rodas para vencer as trilhas. Existem também excursões em terra, como passeios pelos montes para apreciar a vista e visitas às antigas fortificações da Segunda Guerra Mundial

Resorts de luxo foram construídos nos motus que circundam a laguna.

Foi aqui em Bora Bora que surgiram primeiros "over-the-water bungalows". Estes bangalôs privados, muito românticos, oferecem vistas exclusivas da laguna e dos picos e proporcionam acesso fácil à água. São confortáveis e luxuosos, perfeitos para viagens de lua de mel.