Tailândia



O destino

Tailândia


Modernidade em luxuosos hotéis e praias deslumbrantes

A Tailândia é uma nação que mistura cores, sabores, costumes e religiões, onde a cultura ancestral se encontra com a modernidade em luxuosos hotéis e praias deslumbrantes, tornando-a um dos mais exóticos países asiáticos.

Com um povo extremamente simpático, o país atrai cada vez mais turistas interessados em sua rica história, gastronomia requintada e paisagens naturais misturadas aos arranha-céus das grandes cidades.

A primeira visita a Bangkok pode ser determinante para se gostar ou não dessa vibrante cidade asiática. Longe das imagens estereotipadas que os ocidentais fazem das cidades do Oriente, a capital da Tailândia é uma metrópole de quase sete milhões de habitantes, com economia bem resolvida, em contínua expansão industrial, rodeada por tráfego pesado, ar um tanto poluído, prédios altos por todos os lados, avenidas movimentadas, grandes centros comerciais e enorme movimentação de negócios.

Cerca de 95% da população é budista, e o país todo tem 32 mil templos dedicados à religião. Destes, 400 ficam na caótica Bangkok e 320 estão em Chiang Mai, a segunda cidade do país, a 700 km da capital. Além do budismo e da paixão pelo rei, outros aspectos tornam tão diferente para os brasileiros esse país asiático, a mais de 20 horas de vôo e com um fuso horário de dez horas à frente do Brasil.

Os tailandeses têm língua e alfabeto próprios, ambos totalmente incompreensíveis para os falantes da língua portuguesa. Atualmente, vivem o ano de 2049, calendário baseado na versão ocidental da Era Budista, número grafado em algumas das notas fiscais.

Um hábito que faz parte do cotidiano da população é a massagem. Não faltam casas de massagem em cidades como Bangkok e Chiang Mai. Na dúvida, peça indicações para um guia ou para o concierge do hotel. Ou então confie na tradição e experimente os serviços dos alunos da escola de massagem existente do lado do templo do Buda Deitado.

A Tailândia apresenta clima tropical, fortemente influenciado pelo regime de monções, com chuvas torrenciais de maio a setembro, quando sopra a monção de sudoeste, e uma estação extremamente seca nos demais meses. As temperaturas médias anuais oscilam entre 24°C e 30°C. O total anual de chuvas aumenta de leste para oeste.

A única época do ano em que se deve evitar viajar para a Tailândia é o verão tailandês, que vem a ser o período de maior intensidade de chuvas de monções, entre junho e setembro. É importante destacar que na época de alta temporada, compreendida entre os meses de outubro e março, o país fica lotado de turistas. Por isso é necessário efetuar reservas de hotéis com alguma antecedência.


Para se divertir

Ilhas badaladas


Na Tailândia o turista tem a oportunidade de conhecer, além de praias e metrópoles, ilhas baladas, como Phuket, e tranqüilas vilas situadas em meio à montanhas, onde vivem diferentes etnias, como as conhecidas mulheres-girafa.

Haad Rin Ko phangan, na Tailândia é uma das ilhas mais badaladas do mundo. O que arrasta tanta gente para esta ilha é a Festa da Lua Cheia. Famosa no mundo todo como a celebração mais quente do lugar em que a lua parece mais bela, atrai de 10 mil a 30 mil pessoas a cada mês. Tudo começa quando o primeiro traço amarelo aparece ao entardecer e mesinhas são espalhadas pela praia. Quando a noite avança a ilha explode em uma dança frenética que sacode até os espíritos mais recatados.

Já Phuket, a maior ilha tailandesa é point dos animados em busca de baladas ao redor do mundo. A animação é tanta que Phuket recebe aproximadamente um milhão de visitantes por ano. Por causa da sua localização estratégica, a ilha com influência chinesa e portuguesa na sua formação cultural tem a vida noturna mais agitada da Tailândia. As praias também são points, já que ficam cheias o ano todo.

A comida da Tailândia é salgada, doce e picante, tudo de uma vez só. A mistura entre sabores - salgado, doce, picante e ácido- é a principal característica da culinária tailandesa, sempre apontada como a mais "ardida" do Oriente. O título vale. Mas ao lado do ardor, aparecem a suavidade do leite de coco e a delicadeza da erva-cidreira. É o equilíbrio que rege a culinária tailandesa, assim como a religião budista (predominante no país). Dessa maneira, por vezes, pode ser difícil identificar se o prato é salgado ou doce.

Com tanta pimenta e tempero, é difícil imaginar beber algo que não seja um grande gole d'água para aliviar os ardores. A harmonização de bebidas com a comida tailandesa, no entanto, vai muito além disso. No país, as refeições são acompanhadas de chá. Bastante consagrada é a combinação desses pratos com cerveja, como a Singha, produzida na Tailândia. Ah, a cerveja tailandesa é mais forte que a brasileira.

Levar roupas feitas de tecidos delicados não é aconselhável, visto que o processo de lavagem convencional das roupas no país é bastante rudimentar. Por normalmente ser muito quente, o ideal é levar roupas leves de algodão puro ou sintéticas, que permitem ao corpo transpirar mais facilmente. O sol não raramente castiga o turista pelo dia inteiro, obrigando-o a se proteger. Assim, óculos escuros, protetores solares e chapéus ou bonés são uma ótima pedida para qualquer viajante na Tailândia.

É importante ressaltar que na maioria dos templos religiosos algumas regras são impostas ao visitante: é proibida a entrada em locais sagrados (mesmo quando apenas restarem ruínas) usando-se tênis ou sapatos.